sábado, 29 de outubro de 2011

Atum assado com batatas

Atum assado com batatas
Ingredientes:
1 kg de atum em posta
½ kg de batatas (semilhas)
2 cebolas
3 dentes de alho
 2 dl de azeite
3 tomates
Sal, pimenta e colorau q.b.
1 ramo de salsa
Preparação:
Coloca-se o atum numa taça com água durante 3 a 4 horas, para lhe retirar o sangue; mudando a água de vez em quando.
Num pirex, põe-se o atum no meio, rodeado das cebolas e dos tomates cortados aos quartos e das batatas aos pedaços, temperando tudo com sal, pimenta, alho, colorau e a salsa. Rega-se com o azeite e vai ao forno a assar.
Nota: Também pode ser servido com batata-doce assada, com casca, embrulhada em papel de alumínio, sendo este procedimento simultâneo com o assado de atum.

domingo, 16 de outubro de 2011

Bacalhau à Gomes de Sá

É um prato alourado no forno, formado por uma mistura de lascas de bacalhau amaciadas em leite, batatas cozidas e um refogado ligeiro. É enfeitado com ovo cozido, salsa e azeitonas.

HISTÓRIA, DICAS E CURIOSIDADES
No inicio do século XX o filho de um comerciante de bacalhau foi trabalhar para um restaurante no Porto como cozinheiro. O seu nome era José Luiz Gomes de Sá Júnior e foi no restaurante «O Lisbonense», que decidiu inovar deixando as lascas do bacalhau a marinar em leite aquecido de forma a ficarem mais macias. O resultado foi o Bacalhau à Gomes de Sá hoje um dos mais famosos pratos da cozinha tradicional Portuguesa. Diz-se que passou a receita a um seu amigo, um tal de João, com a seguinte nota: "João se alterar qualquer coisa já não fica capaz"

Utilize um tabuleiro onde fique uma camada pouco espessa, do preparado, para tostar tudo por igual. Pode misturar também 1 ovo cozido e picado antes de ir ao forno.

Bacalhau à Gomes de Sá

Ingredientes

bacalhau demolhado
800 g
batatas grandes
1 kg
ovos cozidos
3 und.
cebolas
3 und.
alho
3 dentes
azeite
2 dl
salsa
1 ramo
sal
q.b.
pimenta
q.b.
azeitonas pretas
n. d.
Preparação

Com antecedência escalde as postas de bacalhau durante 3 minutos, limpe-as de peles e espinhas e separe em lascas. Coloque-as num recipiente, cubra com leite quente e deixe repousar cerca de 1 hora.
Ao mesmo tempo coza as batatas inteiras e com pele em água temperada com sal grosso, mais ou menos 35 minutos conforme o tamanho. Não deixe cozer de mais. Deixe arrefecer um pouco, descasque-as e corte-as em pedaços pequenos.
Descasque e corte as cebolas em meias luas e coloque-as num tacho largo e refogue-as em azeite, juntamente com alho picado, até ficarem translúcidas. Ligue o forno a 200º.
Junte as batatas e o bacalhau misturando o conjunto levemente para não desmanchar muito, mas ficar incorporado na cebolada sem refogar (por isso o tacho largo). Rectifique o sal e tempere com pimenta. Coloque num tabuleiro de barro e leve ao forno 15 minutos, a alourar.
Retire do forno e decore com ovos cozidos às rodelas ou picados, salsa picada e azeitonas pretas. Sirva quente.

Nota: Em vez de envolver o bacalhau e as batatas no tacho, poderá colocar os ingredientes às camadas num tabuleiro de barro, antes de levar ao forno.

domingo, 2 de outubro de 2011

Vocabulário Madeirense

Aferrado — Avarento. Mesquinho. Poupado.
Afilado — Pálido. Lívido. Enfiado.
Afiuzar-se — Contar com a opinião ou apoio de outrem.
Afogação — Lançar as mãos à garganta e apertar violentamente.
Afreimado — Assustado. Com perturbação na circulação sanguínea: sangue afreimado.
Agastura — Sensação incómoda no esófago ou estômago.
Agrau — Argau.
Agravar — Ofender. Causar prejuízo.
Agravar-se — Ofender-se. Molestar-se.
Agujada — Comida mal cozinhada.
Aguço — Extremidade ponteaguda dum objecto.
Agulheiro — Aparelho de pesca.
Agulheta — Gancho ou prisão para sustentar o cabelo das mulheres.
Ajetivar — Guardar. Amealhar.
Ajoujar — Curvado sob o peso duma carga.
Ajuntar — Apanhar ou tomar coisa caída no chão.
Alambriado — Meio embriagado.

Alanternado — Idem.
Albacora — Uma das quatro espécies de atum pescado na Madeira.
Alcaide — Objecto velho ou incómodo ou de difícil venda.
Alcançado — Envergonhado. Vexado.
Aldrabão — Trapaceiro. Intrujão.
Alfario — Atrevido. Doudivanas. Desobediente.
Algorreiro — Esperto. Ladino.
Alheta — Prisão de tecido ou de metal nas peças do vestuário.
Alifanfe — Indivíduo ou objecto de proporções avantajadas.
Alinhavar-se — Apropriar-se  indevidamente   de  qualquer cousa. Surripiar,
Aljava — Algibeira longa e exterior.
Almanjarra — Objecto ou móvel disperso e mal ajeitado.
Almas, alminhas — Almas do Purgatório.
Almerca e Aimerca — Estados Unidos da América.
Almorreimas — Hemorróidas.
Alonso — Pouco ajuizado. Estúpido,
Alpista — Pequenas sementes para alimento de pássaros engaiolados.


Alparcas — Doença na língua das vacas e de outros animais.
Alpardinho — Crepúsculo da tarde. Ao anoitecer.
Alqueirar — Alqueivar — Preparar a terra para a sementeira ou plantação.
Alqueire — Medida de agrimensura equivalente a 900 metros quadrados, mas que no Funchal
se computa em 756 m2 225.
Altio —  Certos    pontos    no      mar    não    muito  distantes da costa marítima demarcados pelos
pescadores.
Aluado — Doença em alguns animais.
Alvenaria — Além das construções de pedra e cal, dá-se este nome ao basalto compacto ou pedra
rija insusceptível de ser lavrada.
Amachorrado — Com modos de macho.
Amasiado — Viver com uma mulher fora do matrimónio.
Amassacado — Enfadado. Fatigado. Incomodado. Massacrado.
Amecê — Vossemecê (Do antigo Vossa Mercê).
Ameixa — Dificuldade. Contratempo.
Amoroso — Mole. Pouco endurecido.
Amura — Estar à espera com demora.


Amurado —De «amurar».
Amurar — Vedar com muros um terreno ou habitação.
Anavia — Via. Ânus. Recto.
Andame — Andaime.
Animado — Ligeiramente tomado de bebida alcoólica.
Aninhas — Maninho. Estéril. Improdutivo.
Anjinho — Criança morta que não atingiu o uso da razão.
Anojado — Entristecido pela morte de alguém. Que provoca nojo ou repulsão.
Anotar — Escrever ou ditar uma carta.
Ânsia — Sensação de fome ou apetite para comer.
Antiguíssimo — Antiquíssimo (corr.)
Antonte — Ante-ontem,
Apanha— Colheita.
Apanhar — Colher. Levar pancadas.
Apalavrado — Comprometido para casar.
Apalavrar — Firmar um contrato.
Apastorar — Ocupar-se no governo doméstico.

Apelido — Alcunha.
Apenar — Reunir. Chamar gente.
Apenhorar — Empenhar. «Por no prego».
Aperganar — Incomodar. Importunar.
Aperto — Sabor acre ou picante.
Ápice — Rápido. Diminuto resto duma cousa.
Ápilhar — Alcançar. Apanhar. Encontrar.
Apoitar — Lançar a «poita».  O ancorar das pequenas embarcações.
Apontear — Remendar peças de vestuário. Dar pequenos pontos com a agulha.
Aposinhar — Espesinhar. Vexar. Ferir.
Aprantar — Plantar.
Apusegado — Entristecido e sem acção.
Apusegar-se — Espojar-se. Estender-se.
Apusinhar — Vid. «Aperganar».
Aque-del-rei — (Aqui da parte do rei) — Expressão aflitiva pedindo socorro.
Aquidade — Pirraças. Ofensa. Injustiça.
Arara — Logro. Engano. Armadilha.
Arcas — Costelas. Vértebras.
Ardume — Ardor.
Areão —Terreno areento.
Areeiro —Idem.
Arelo — Tira muito estreita de tecidos. Ourelo.
Arenque —Tabefe. Pequena pancada com a mão.
Areúsco — Terreno  argiloso  ou calcáreo e pouco produtivo.
Arqueiro — Habitante das freguesias do Arco da Calheta e Arco de S. Jorge. Castanheiro bravo
não enxertado.
Arrabaçar — Subtrair. Tirar fraudulentamente.
Arrebentão ou rebentão — Trecho de estrada muito declivosa e de extenuante subida.
Arreceber-se — Casar-se.
Arrecebido — Casado.
Arregoa — Fenda. Pequena abertura.
Arreio (a reio) — Seguidamente. Sem interrupção.
Arremo (ad rem) — A propósito.
Arrendado — Particularidade na manufactura dos «Bordados».

Arrenegado — De «Arrenegar-se».
Arrenegar — Encolerizar-se. Enfurecer-se.
Arretura — Rotura. Hérnia.
Arribar — Melhorar de saúde.
Arrifar ou rifar — Compor o cabelo. Pentear-se.
Arsoluto (Absoluto) — Desobediente. Insubordinado.
Artejar — Ter pretensões a engraçado.
Artice — Blandícia. Acto para iludir ou enganar.
Arzilha (axila) — Ombro. Omoplata. Espádua. Costela.
Asnidade — Asneira.
Assador — Vaso de barro para assar castanhas.
Asservado — Prudente. Condescendente. Bem comportado.
Asservar — Concordar. Não levantar dificuldades.
Assinar — Marcar com sinal, no corpo do gado lanígero, caprino e porcino, a quem pertence.
Assomada — A  parte mais elevada   duma estrada ou caminho de grande declive.
Assoprado — Empertigado. Petulante. Atrevido,
Atacação — Vid. «Atacar»

Atacado — Surpreendido e atónito por causa inesperada,
Atacar — Prender, ao vestir, as partes do vestido ou do fato. Surpreender inesperadamente.
Atamanear — Consertar mal
Atassanhar — Atassalhar.
Atazanar (Atenazar) — Incomodar com insistência. Perseguir.
Aternos (os) — Eternidade. Para sempre.
Atestar — Encher bem. Acogular.
Atiçar — Acular.
Atroilado — Imprudente. Pouco apurado. Menos Teflectido.
Atomatado — Surpreendido. Espantado. Perplexo.
Atontalhado — Com pouco juízo.
Atrapalho — Dificuldade. Obstáculo.
Atrapichar — Acumular. Arruinar. Incomodado com muitos afazeres.
Atrás da casa — Latrina.
Atremar (Atermar) — Compreender. Entender.
Atum — Vid. «Albacora», «Patudo», «Rabil» e «Voador».
Atupir — (Entupir cavando) — Enterrar os animais que morrem.

Augage — Catadupa. Queda de água no leito das ribeiras declivosas.
Augar — Aguar (corr.).
Auguio — Chuva abundante.
Ave — Qualquer galináceo.
Avelar — Amadurecer por efeito de calor,
Aventar — Procurar. Descobrir.
Avessas — Avesso.
Aviar-se — Acabar   apressadamente.   Desembaraçar-se. Despachar-se.
Aviceiro — Terreno inclinado ou pouco produtivo.
Aviloado — Com maneiras de camponês ou vilão. Pouco apurado no vestuário.
Azamboado — Com erupção cutânea.
Azoado — Perturbado. Entristecido. Incómodo na cabeça. Tonturas. Vertigem.
Azoigar ou azougar — Morrer (falando dos animais).
 
    Vocabulário Madeirense

A
Abafo — Peça de vestuário para resguardar do írío.
Abagar — Diminuir. Moderar,
Abananar-se — Surpreender-se. Ficar estupefacto.
Abanar-se — Envaidecer-se. Apropriar-se de cousa alheia.
Abaratar-se — Zangar-se. Melindrar-se.
Abarbatar — Abarbar. Atarefar. Sobrecarregar.
Abatumado — Tempo anuveado, prognosticando chuva.
Abelhinha — Como em muitas terras do país-automóvel pequeno.
Aberto — Distensão muscular proveniente de pancada ou queda, dificultando os movimentos.
Abestema — Cousa importuna ou incómoda.
Abicadouro — Despenhadeiro. Escarpa aprumada. Precipício.
Abicar-se — Precipitar-se. Suicidar-se.

Abichanar —  O mesmo que abichar.
Abichar — Guardar furtivamente qualquer cousa.
Abis — Abdómen da mulher.
Abiscoitar-se — Apropriar-se indevidamente do alheio.
Abispar — Avistar. Ver a distância.
Abobarar — Namoricar. Requestar.
Abobarinha — Barriga. Ventre. Cozera abobarinha: bater violentamente no ventre.
Abogangar – Bater no ventre com pancadas
Aboiar — Apupar e perseguir com dichotes.
Aboticar — Hipotecar.
Abotoar-se —  O mesmo que «Abiscoitar-se».
Abra — Pequena enseada ou abrigo na costa marítima.
Acaçapar — Guardar ou esconder furtivamente.
Acagulhar — Acogular,
Acaje — Quase.
Acatrapar — Apropriar-se do alheio. Subtrair.
Acatrafilar — Agarrar. Prender com violência. Apossar-se à força.
Acavalgar — Acogular. Encher violentamente.
Acertar —Provar as peças do vestuário.
Achada  —Pequena planície entre terrenos acidentados. Muito empregado toponimicamente.
Achada de...
Achadeiro, Achadense — Habitante da freguesia das Achadas da Cruz.
Açodado — Raivoso. Encolerizado.
Açugigar — Apertar. Prender com violência.
Adanar — Nadar.
Adano — Acto de nadar, ir de nado.
Adebenisco — (ab inítio) Antigo, de tempo remoto.
Adornar — Adormecer.
Aduela — Costela. Vértebra. Pipas de madeira importadas da América para a construção de
vasilhame destinado a conter o vinho e outros líquidos.
Adugues — Condimentos empregados na preparação das comidas para as cozinhar.
Adufa —Pequena comporta ou abertura no «mainel» das levadas para dar vasão à água nos pontos
de irrigação.

Afe-nafe — Do inglês «half and half» meio embriagado.
3                                                                                                                                                                                                                                                                                               

Licor de Pitanga


Pena não ter destes frutinhos refrescantes para fazer este delicioso licor.
Quem os tiver e for apreciador, aqui deixo a minha receita.

Licor de Pitanga

Ingredientes:
1 kg de pitangas maduras
1 L de álcool
1,5 L de água
1 kg de açúcar

Preparação:
Deixar as pitangas a macerar em álcool durante 8 dias, agitando diariamente. Fazer uma calda com açúcar e água e deixar arrefecer.
Juntar à infusão, previamente coada. Deixar repousar, filtrar e engarrafar. 

Mousse de pitanga



Mousse de pitanga 

Ingredientes:
1 gelatina a gosto
500g de pitanga sem caroço
100g de açúcar
1 lata de leite condensado
2 pacotes de natas
Calda:
100g de polpa de pitanga 
3 colheres (sopa) de açúcar 
Preparação:
Desfazer a gelatina em metade da água e juntar o leite condensado, envolvendo bem.
Lavar as pitangas, retirar o caroço, pesar, reduzi-las a puré com a varinha mágica e juntar o açúcar, mexendo até dissolvê-lo.
Juntar a gelatina com o leite condensado em fio.
Bater as natas e envolvê-las lentamente ao preparado. Deitar numa taça de vidro e levar ao frigorífico até ficar bem firme.
Calda: 
Numa panela misture a polpa de pitanga e o açúcar. Leve ao lume brando, sem mexer, deixando ferver até ponto de calda. Depois de arrefecer espalhe sobre a mousse. 

sábado, 1 de outubro de 2011

Pudim de papaia


Ingredientes
1 papaia
300g de açúcar
50g de farinha
1,5dl de leite
1 limão (raspa)
100g de manteiga
3 ovos

Preparação
Descasque a papaia, corte-a ao meio, retire-lhe as sementes e coloque-a num tacho. Junte-lhe 3 colheres das de sopa de açúcar e meio
 decilitro de água. Leve ao lume e coza até se desfazer e escorra. Triture a fruta e envolva, ao puré obtido, a farinha, o leite, a raspa de limão, a manteiga amolecida, os ovos e 100g de açúcar. Misture bem.
Entretanto, caramelize uma forma de pudim, levando o restante açúcar ao lume com 1,5dl de água na própria forma, até obter caramelo e barre-a, rodando-a. Ligue o forno a 190º e coloque um tabuleiro com água. Coloque a forma, no banho-maria e coza por cerca de 1 hora. Desenforme apenas quando estiver frio.
Leve-a ao frigorífico até servir.

http://priscilamedeiros.wordpress.com/2010/07/30/pudim-de-papaia-das-madeira/
Cavalas com molho vilão


Não deve haver madeirense que se preze que já não tenha comido cavalas com molho vilão com batatas cozidas ou com milho cozido ou frito.

Cavalas com molho vilão
Ingredientes
4 cavalas
 4 dentes de alho
  3 dl de vinho branco  1 colher (chá) de orégãos
  1 malagueta
 1 raminho de salsa
  1 raminho de segurelha
1 dl de vinagre
 Sal q.b.
 Óleo para fritar

Preparação
Lave, amanhe e corte as cavalas em pedaços enviesados, deixe-as escorrer e deite-as, depois, para um recipiente. Tempere-as de sal, junte os alhos já descascados e picados, os orégãos, a malagueta cortada e sem pevides, a salsa picada, a segurelha, o vinho e o vinagre. De seguida envolva muito bem e deixe marinar durante aproximadamente 4 horas.
Escorra as cavalas da marinada e leve, entretanto, ao lume uma frigideira com óleo e, quando este estiver bem quente, mergulhe os pedaços de cavala e deixe-as fritar de ambos os lados.
Quando estiver bem frito, retire para um prato, junte a marinada ao óleo de fritar e deixe ferver durante 5 minutos, deite de imediato este molho sobre as cavalas e sirva com milho cozido.

Sarapatel



Sarapatel

Ingredientes:
1 kg de sangue de porco
1 colher de sopa de banha
2 cebolas
2 tomates
1 ramo de salsa
2 peros
50 g de nozes
50 g de passas
250 g de fígado de porco
1 colher de chá de açúcar
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sopa de vinagre
sal

Preparação:
Cozem-se separadamente em água a ferver o sangue e fígado cortado em bocadinhos. Picam-se finamente as cebolas, a salsa e o tomate.
Deitam-se num tacho a salsa picada, as cebolas e o tomate e refogam-se com a banha. Em seguida juntam-se os restantes ingredientes, sendo o sangue esfarelado e as nozes e os peros picados. Deixa-se cozer sobre lume brando, mexendo sempre com uma colher de pau até ficar bem apurado e relativamente seco.
Acompanha-se com fatias de pão ou com batatas cozidas.

Bolo de Chocolate com Aveia

Hoje vou experimentar uma nova receita de Bolo de chocolate com aveia que vi na "Magia da Cozinha"
Logo digo como ficou.
Bolo de Chocolate com Aveia 
 Ingredientes:

Massa:
1 1/2 chávena de leite
chávena de óleo
3 ovos
chávenas de açúcar (usou 1 1/2)
chávena de chocolate em pó
1 1/2 chávena de farinha de trigo
1 colher sopa de fermento em pó
1 1/2 
chávena de aveia em flocos finos

Cobertura:
chávena de chocolate em pó
1/2 chávena de açúcar
50 g de manteiga
1/2 
chávena de leite

Modo de Preparar:
No liquidificador bater o leite com o óleo, os ovos, o açúcar e o chocolate em pó. Despejar  numa tigela e misturar a farinha, o fermento e a aveia. Colocar  numa forma retangular de 25 cm x 32 cm untada e polvilhada com farinha. Cozer no forno pré-aquecido a 200ºC por cerca de 40 minutos.

Para a cobertura misturar todos os ingredientes. Levar ao lume baixo, deixando ferver por 2 minutos ou até engrossar. Desligar o lume e, com o auxílio de um garfo, bater a cobertura. Despejar sobre o bolo ainda quente.